Processando...

Empreendedorismo pode ser aprendido?

Por Alice Sosnowski, especialista em empreendedorismo e autora do livro "Empreendedorismo Para Leigos".

Este ainda é um debate que provoca discussões acaloradas entre empreendedores e profissionais. Todos nós possuímos habilidades empreendedoras que aplicamos em diferentes áreas da vida, seja abrindo uma empresa, criando um filho, planejando uma viagem ou lidando com um relacionamento. Mas empreender profissionalmente tem outro significado e precisa ser uma escolha consciente, já que é uma jornada cheia de riscos, obstáculos e impacta diretamente nossa própria sobrevivência.

Depois de mais de 10 anos lidando com o tema tanto como empreendedora como estudiosa do assunto, recebo muitas pessoas que me perguntam como é entrar neste jogo: quais as regras, os ganhos e as perdas ao assumir esse desafio? Sempre respondo que empreendedorismo não tem regras pré-definidas. Cada empreendedor tem que aprender a voar conforme o vento e precisa saber lidar com a incerteza. No fim das contas, é uma escolha que envolve trabalhar com mais autonomia, proatividade e propósito.

Apesar de acreditar que o empreendedor aprende enquanto faz, acredito que é possível sim encontrar alguns atalhos que ajudem nesta jornada. Listo a seguir as três variáveis que considero essenciais no aprendizado do empreendedorismo como estilo de vida:

1) HABILIDADES EMPREENDEDORAS: O empreendedorismo é uma excelente ferramenta de transformação pessoal e desperta no indivíduo potencialidades que ele sequer sabia que tinha. Foi ao longo dos anos que percebi que para sobreviver nesse meio precisava desenvolver algumas habilidades indispensáveis como ousadia, autoconfiança e criatividade. Mas foi com as pancadas da vida que me tornei uma pessoa mais resiliente e assertiva. Por isso, acredito que é necessário trabalhar o autoconhecimento continuamente e exercitar as características empreendedoras aprendidas todos os dias.

2) AMBIENTE ESTIMULANTE: O empreendedor é um ser social, produto do meio em que vive. Se uma pessoa vive em um ambiente estimulante, terá motivação para enfrentar a jornada empreendedora. Também percebo que compartilhar é um diferencial neste universo. Dividir experiências de sucesso – e fracasso –, trocar informações e experiências é uma forma de superar as suas próprias questões.

3) BUSCA POR CONHECIMENTO: Como disse, ninguém  nasce pronto para empreender, mas vai se fazendo ao longo do tempo. São as experiências vividas e a força de vontade para sair da zona de conforto que forjam um empreendedor. E, se antes, estas características eram transmitidas empiricamente, hoje elas estão formalizadas e ensinadas em cursos, livros e filmes. Eu mesma sou professora de empreendedorismo na PUC-SP e acabo de lançar um livro sobre o assunto porque acredito firmemente que o empreendedorismo é um estilo de vida capaz de ser aprendido.

Curtiu?! Aproveite e conheça o livro Empreendedorismo Para Leigos, AQUI.