O seu portal de conhecimento
Telefone (21) 3278-8069
Udo Simons, coautor de Jornalismo Para Leigos, ensina a reconhecer uma fake news

O fenômeno das Fake News não é novo, mas a tecnologia aumentou sua propagação. Em uma Era com forte desenvolvimento de tecnologia da comunicação, qualquer um pode espalhar mentiras mundo afora por diferentes mídias. Cuidado, elas são criadas para ludibriar e enganar. Não se trata de uma informação jornalística, nem merece crédito. Elas só existem para confundir, espalhar o medo e a incerteza.

O passo a passo para não cair na armadilha:

Antes de tudo, cautela

Recebeu alguma informação por rede social? Só compartilhe se tiver certeza de que o fato é verdadeiro. Exerça seu direito de duvidar daquilo que você vê ou lê, especialmente nas redes sociais. Em caso de incerteza, nunca compartilhe.

Quando é real, há repercussão

Fatos verídicos repercutem amplamente na mídia. A informação que você está lendo em alguma rede social teve repercussão por estabelecidos veículos de comunicação virtuais ou tradicionais? Se a resposta a essa pergunta for não, desconfie, você deve estar lendo uma mentira.

Parece que é, mas não é

O fantástico mundo virtual é um prodígio na criação de websites com nomes similares aos dos veículos tradicionais. Algumas vezes, são sátiras inteligentes, mas em grande parte a similaridade da grafia do nome é utilizada para confundir, para facilitar a disseminação das Fake News.

Mas quem disse mesmo?

“Fonte” é um jargão jornalístico. É a instância primária do fato. Pode ser uma pessoa, uma empresa, uma instituição pública etc. Se ao ler uma informação, não ficar claro para você quem é a “fonte da notícia”, desconfie. O assunto pode ter sido inventado. Em Fake News as “fontes” nunca são muito claras. É o famoso alguém ouviu, alguém falou.

Falsos especialistas

Para ganhar ares de publicação séria, muitas Fake News são elaboradas com inúmeras citações de especialistas. Isso é feito para gerar credibilidade, mas não se deixe levar pela aparência. Muitos deles sequer existem. São elementos inseridos no texto para sustentar a mentira. Uma pesquisa ajuda a desmascarar o embuste.

À caça dos adjetivos

Observe com atenção se o texto está recheado de adjetivos, exclamações, frases enaltecedoras. Adjetivos de qualquer ordem não combinam com a prática jornalística. Elogios ou ataques depreciativos a pessoas e instituições são elementos das Fake News.

Bots em ação

É comum o uso dos internet bots ou web robots para disseminação das Fake News. Eles são softwares que simulam os seres humanos no mundo online e disseminam Fake News em larga escala. Geralmente, os perfis dos bots tem imagens aleatórias em vez de fotos do rosto os identificando. São seguidos por poucas pessoas e seus feeds de notícia têm poucas ou quase nenhuma história pessoal.

Erros na escrita

Fique atento a erros ortográficos, frases truncadas, pensamentos inconclusos nos textos. Fake News atentam contra a inculta e bela língua de Camões, o português. Textos mentirosos, elaborados para se passar por notícias verdadeiras, são recheados, constantemente, por erros ortográficos.

Imagens também enganam

Observe com atenção as fotos que você vê junto à informação. Questione-se: a imagem lhe parece normal? Você consegue identificar algum indício de alteração? O que ela está mostrando é condizente com o texto no qual ela se relaciona? Imagens, de maneira geral, podem ser adulteradas. Não as tenha como elemento único para formar sua opinião.

Fake News são sensacionalistas

O ambiente de Fake News é dado a textos sensacionalistas. Na propagação da mentira, tudo é muito urgente, definitivo e imediato. Por isso, dobre sua atenção ao ler textos muito “dramáticos”, com ares sensacionalistas. Essa é uma técnica para captar sua atenção e fazer você tomar partido.

A todo momento

O atropelo do modo de vida atual incentiva as pessoas a não se preocupar se a história contada é fato ou ficção. Isso é reforçado pela facilidade de finalização dos textos. Uma informação bem diagramada, acompanhada por uma foto, por uma ilustração pertinente, por gráficos tem mais credibilidade, mas também pode ser uma bela mentira.

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Open chat
1
Olá!
Somos a Editora Alta Books.
É um prazer tê-lo em nosso site.
Como podemos te ajudar?
Powered by